Culto todos os domingos às 19:30h.
Rua Vital, Nr 316, Quinta dos Vinhedos, Bragança Paulista, SP
jesus-e-a-mulher-samaritana-junto-ao-poco-de-jaco

#palavrasnocaminho – A samaritana

A SAMARITANA

Nisso veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: “Dê-me um pouco de água”.
( Os seus discípulos tinham ido à cidade comprar comida. )
A mulher samaritana lhe perguntou: “Como o senhor, sendo judeu, pede a mim, uma samaritana, água para beber? ” ( Pois os judeus não se dão bem com os samaritanos. )
Jesus lhe respondeu: “Se você conhecesse o dom de Deus e quem lhe está pedindo água, você lhe teria pedido e ele lhe teria dado água viva”.
João 4:7-10

No século I, quando Jesus esteve entre nós, Israel estava dividida em três regiões ou províncias: Galileia, Samaria e Judeia.  Em todo o ministério de Jesus na terra, percebemos o quanto Ele era relacional, o quanto nosso Mestre se dedicava em ir ao encontro de pessoas. Neste encontro, Jesus estava sozinho com uma mulher samaritana e desta forma quebrava duas tradições da religião judaica (uma delas é que os judeus das províncias da Galileia e Judeia, não se davam bem com os samaritanos, e naquele poço Jesus estava conversando com uma samaritana, a quem dirige a palavra e lhe pede água; a outra tradição é que um homem não ficava sozinho com uma mulher, a não ser que esta fosse da sua própria família).

jesus-e-a-mulher-samaritana-junto-ao-poco-de-jaco

Neste encontro Jesus estava quebrando regras religiosas, bem como preconceitos de sua época, ao se comunicar com uma samaritana, sem ter algum discípulo por perto, porque Jesus desejava nos ensinar que a salvação pessoal de alguém perdido em seus próprios pecados, como aquela mulher samaritana era mais importante do que as tradições e preceitos de uma religião.

Nesse sentido, Jesus que estava conectado com o Pai, sabia da importância de falar para aquela mulher que Ele próprio era o Messias prometido ao povo de Israel.

A samaritana conhecendo os preconceitos de sua época, em que seu povo não se comunicava com os judeus, inquiriu Jesus sobre esta questão, e Jesus respondendo para ela mostrou o seu poder e afirmou que ele teria uma água viva (Jesus entendia que a água viva mataria a sede espiritual de quem a bebesse, Jesus era esta fonte de vida que possibilitaria a vida eterna).

A mulher estava pensando ainda em como matar sua sede aqui na terra, quando disse para Jesus, registrado no evangelho de João 4:11:” Disse a mulher: “O senhor não tem com que tirar a água, e o poço é fundo. Onde pode conseguir essa água viva?

cachoeira-da-velha-jalapao-10

 A samaritana não entendendo bem ainda com quem falava, e que tipo de “água viva” Jesus estava lhe oferecendo, pediu para Jesus que lhe desse desta água para que ela não precisasse vir mais buscar no poço. Então, Jesus, sendo Deus conosco e conhecendo toda sua história pediu para que ele chamasse seu marido, e a samaritana disse para Jesus que não tinha marido, porém Jesus a inquiriu dizendo que ela já havia tido cinco maridos, e o que agora tens não é teu marido.

Neste ponto da conversa ela deve ter ficado muito assustada, pois na sua visão estava conversando com um profeta, alguém que tinha poderes suficientes para poder revelar a intimidade de sua vida, mas ainda não havia compreendido que estava diante do Messias prometido a Israel.

Jesus então declarou para ela: Deus é espírito e importa que seus adoradores o adorem em espírito e verdade.

orandoapalavra011-e1446364011734

A mulher então disse para Jesus, registrado em João 4:25: “Disse a mulher: “Eu sei que o Messias ( chamado Cristo ) está para vir. Quando ele vier, explicará tudo para nós”.

Neste momento, Jesus percebendo ela não havia ainda entendido que Ele era o Messias prometido a nação de Israel, reafirmou seu poder e missão, dizendo para ela, registrado em João 4:26: “Então Jesus declarou: “Eu sou o Messias! Eu, que estou falando com você”.

Depois disto, os discípulos chegaram e aquela mulher foi embora, dizendo para todos os samaritanos que a encontraram que havia conversado com alguém que lhe havia dito tudo sobre sua vida e o que aconteceria. Muitos samaritanos vieram a crer em Jesus pelo testemunho daquela samaritana.

batismo

 Podemos extrair algumas preciosas lições deste encontro de Jesus com a samaritana:

  1. Jesus não fazia distinção entre as pessoas, não tinha preconceitos, nem estava preocupado em seguir regras da religião vigente em sua época, ou da tradição que não permitia que ele pudesse conversar com uma mulher, estando sozinho, ou do preconceito em se relacionar com alguém que fosse samaritano. Como cristãos precisamos quebrar os nossos estereótipos e preconceitos. Todas as pessoas precisam de Cristo, a despeito de quem elas são, do que acreditam, ou, de como se comportam. Não cabe a nós julgarmos as pessoas. Cabe a nós amarmos pessoas, levando as boas novas da salvação em Cristo Jesus.
  2. A religião nos limita, as regras dos homens nos afastam do plano de Deus para a humanidade. Jesus é a Palavra Viva de Deus para nós no século XXI. Jesus não impõe regras para que nos aproximemos Dele. Jesus está sempre pronto em se relacionar conosco (no estado em que nos encontramos hoje). Não crie barreiras para compreender Deus e o que Ele deseja realizar em sua vida, com a salvação dada por Jesus Cristo.
  3. Precisamos seguir o exemplo de Jesus e ir na direção de pessoas que precisam do evangelho, da mensagem de salvação em Cristo. Torna-se necessário levarmos a palavra de salvação para aqueles que não a conhecem. Muitas pessoas que convivem conosco diariamente esperam uma palavra de esperança e salvação. Não podemos ficar calados.

Reflita:  Já experimentei desta fonte de água viva que é Jesus, e tenho a certeza da vida eterna. Tenho falado de Jesus para as pessoas que encontro. Adoro a Deus em espírito e em verdade. Repense sua vida, tenha um encontro pessoal com Cristo, promova este encontro de Jesus com outras pessoas que convivem com você. Seja feliz, e faça outras pessoas felizes, proclamando a Cristo.

Pr. Luiz Francisco Contri

Um comentário

Adicionar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *